A cooperativa do MST que transformou o Brasil no maior produtor de arroz orgânico da América Latina

Estávamos subindo o Rio Grande do Sul, em direção à Porto Alegre, e decidimos passar  na cidade de Tapes para visitar a Coopat, uma cooperativa do MST (Movimento dos Sem Terra). No primeiro momento, já nos reunimos para apreciar um chimarrão e nos conhecer. Quando a recepção é natural, sentimos que a iniciativa fica ainda mais bela. Lá vai sua história!

Dentro da cidade, formou-se o assentamento Lagoa do Junco do MST, em 1995. Hoje moram cerca de 90 pessoas numa vila muito bem organizada, decorada com flores e som de pássaros. A cooperativa surgiu logo depois, em 1998. A importância de trabalhar coletivamente está enraizado na cultura local.

Com o passar dos anos, eles tiveram uma experiência bem assustadora com o uso de agrotóxicos. Um dos agricultores caiu no chão, tonto, escorrendo sangue pela boca e então começou uma nova era na cidade. Acabou essa história de veneno! Agora 100% da lavoura é orgânica. Hoje a Coopat trabalha com 400 famílias assentadas do Rio Grande do Sul que formam a maior marca de arroz orgânico da América Latina: a Terra Livre. Totalmente produzida em assentamentos de reforma agrária!

“VAGABUNDOS!!!!!!”, muitos bradariam depois de ouvir essa informação. Pois não são.

Contrariando o que rola no senso comum, a grande maioria (para não dizer todos) é formada por trabalhadores. Acordam cedo, têm família, pagam contas, produzem arroz orgânico que não envenena ninguém e nem a terra. São pessoas simples que sempre nos recebem de braços abertos. Aqui não foi diferente.

O encontro foi lindo. Mais lindo foi receber a informação de que os principais clientes deles são prefeituras que usam o arroz na merenda escolar.

É isso: as crianças que estudam em escola pública estão se alimentando com arroz (entre outros produtos) orgânicos. Maravilha!

Que a produção agroecológica, cooperativa e familiar continue crescendo e tomando o espaço que hoje é da indústria “convencional”, aquela que está destruindo a vida e o ambiente de muitas pessoas e animais!

Assista a entrevista com o presidente da Coopat aqui.

Arroz organico mst

Arroz organico mst 2

Arroz sem veneno nem fertilizantes químicos, vulgo natural: como foi cultivado por séculos… Mas há uns 60 anos inventaram de começar a tacar venenos extremamente nocivos para matar formas de vida indesejadas à produção.
Não imaginavam que isso nos traria muitos problemas… Aos poucos a gente vai entendendo e voltando pra uma agricultura mais bonita.

agroindustria

agroindustria arroz

agricultor arroz

Se não é divertido, não é sustentável.
Um brinde ao trabalho e a boa recepção, com direito a muitos sorrisos.

mst

Da lavoura ao ensacamento: tudo feito por aqui mesmo.
Economia de energia e custos.

assentamento Lagoa do Junco em Tapes

Assentamento Lagoa do Junco em Tapes

The Greenest Post

Salvar

Anúncios

14 comentários sobre “A cooperativa do MST que transformou o Brasil no maior produtor de arroz orgânico da América Latina

  1. MUITO BOM SABER DESTAS ATIVIDADE DO MST. VOU COMPARTILHAR COM OUTRAS PESSOAS QUE NÃO TEM CONHECIMENTO DA ORGANIZAÇÃO DOS ASSENTAMENTOS.

    Curtir

    1. Penso que a marca Terra Livre seja privativa do MST. MST. Há anos venho comprando o leite, sempre que possível. Mas n procure a marca nas redes Walmart, pq nunca vi…

      Curtir

    2. Vendem em algumas tendas da feirinha ecológica do Parque da Redenção, nos sábados de manhã, onde todos os produtos vendidos são orgânicos (mesmo local do brique de domingo).

      Curtir

  2. Muito bom! Sou técnico agrícola e trabalhei alguns anos com arroz irrigado na região de são José do norte na década de 90 e fazia aplicação de herbicidas​ . Fico muito feliz em saber que existe novas técnicas de produção de arroz organico .
    A pergunta é?
    É possível produzir arroz organico em grande escala?

    Curtir

  3. Eu sou um ferrenho defensor do MST. Hoje, sou aposentado do Banco do Brasil. Na década de 70, trabalhava na CREAI (Carteira Agrícola) da agência de Cruz Alta (RS) e fomos um dos que auxiliaram no reassentamento e nos financiamentos dos “afogados do Passo Real”, colonos desalojados pela invasão das águas em suas terras. Foi difícil, mas hoje o assentamento “Fazenda Boa Vista do Incra” prosperou e se tornou Cidade, município produtor do alto Jacuí. Parabéns ao MST .

    Curtir

  4. excelente articulo, que muestra un ejemplo claro, una vez más, que otro mundo es posible, la producción comunitaria y el respeto por la naturaleza, el medio ambiente y nosotros que nos beneficiamos directamente con productos sanos y eso en gran en una producción a gran escala. la utopía queda atrás para ser realidad, queda por cambiar el resto de la sociedad.

    Curtir

  5. Sou morador de Tapes e conheço o trabalho deste povo.Se boa parte dos reacionários visitassem este local mudariam(ou não) a forma e a maneira que enxergam esta organização.Conheço o Tarcízio e o Fábio coordenadores desta cooperativa e realizam um belo trabalho.Participei colaborando com a inauguração do Busto de Hugo Chaves que hoje dá nome a este assentamento e porque motivo, colaboração mútua em formação destes agricultores..Parabéns á todos,,

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s