YANOMAMI

Kami Yamaki Urihipë, Nossa Terra-Floresta Para os Yanomami, ”urihi”, a terra-floresta, não é um mero espaço inerte de exploração econômica (o que chamamos de “natureza”) Trata-se de uma entidade viva, inserida numa complexa dinâmica cosmológica de intercâmbios entre humanos e não-humanos. Como tal, se encontra hoje ameaçada pela predação cega dos brancos. Na visão do líder Davi Kopenawa Yanomami: A terra-floresta só pode morrer se for destruída pelos brancos. Então, os riachos sumirão, a terra ficará friável, as árvores secarão e as pedras das montanhas racharão com o calor. Os espíritos xapiripë, que moram nas serras e ficam brincando na … Continuar lendo YANOMAMI

Antonio Nobre: O planeta está enfermo ´é preciso reajardiná-lo

Em entrevista exclusiva, o cientista propagador da Teoria de Gaia fala sobre a importância da cosmovisão indígena e oferece uma solução simples para salvar o planeta das mudanças climáticas: replantar as trilhões de árvores que derrubamos. Por Paulina Chamorro Antonio Nobre é um cientista que fala das ciências da terra com amor. Pode parecer estranho ler essas palavras em uma mesma frase, mas, após ouvi-lo, em poucos minutos entendemos que seu ponto de partida é múltiplo e que muito do que a ciência não calcula também entra na equação de Nobre. Um dos principais propagadores da Teoria de Gaia aplicada, … Continuar lendo Antonio Nobre: O planeta está enfermo ´é preciso reajardiná-lo

Coluna Abolição | Em busca de espaços e tempos abolicionistas

Apesar da constante interpelação que abolicionistas sofrem em relação à validade, à concretude e às possibilidades de se realizar o horizonte abolicionista, o abolicionismo resguarda capacidades de enfrentamento crítico que cabem ser levadas adiante com entusiasmo. Primeiro, vale lembrar: ser … Continuar lendo Coluna Abolição | Em busca de espaços e tempos abolicionistas

“As gerações futuras nos julgarão e dirão que fomos criminosos.”

Em Como ser um bom ancestral. A arte de pensar o futuro num mundo imediatista (Zahar, 2021), o filósofo explora os meandros do pensamento de longo prazo e os desafios de viver no presente sem comprometer a sobrevivência das gerações … Continuar lendo “As gerações futuras nos julgarão e dirão que fomos criminosos.”

Indígena não fala só Tupi

A força das línguas indígenas Só no Pará, são 34 línguas ancestrais. Ao decretar 2022 como o primeiro ano da Década das Línguas Indígenas, a Unesco quer tirar da invisibilidade uma enorme diversidade linguística Por Liana Melo | ODS 16 … Continuar lendo Indígena não fala só Tupi

Kuhikugu, civilização amazônica

A imagem é uma representação realistica de Kuhikugu, um grande complexo rural-urbano constituído de “cidades-jardins”, construído pelos ancestrais dos Kuikuros, povos indígenas que habitam a região do Xingu, em Mato Grosso (centro do Brasil), desde o ano 500 d.C. Com … Continuar lendo Kuhikugu, civilização amazônica

‘Um único planeta, uma só saúde’ e a Declaração de Kunming sobre Biodiversidade

PAULO M. BUSS E DANIELLY MAGALHÃES Depois da eclosão da pandemia de Covid-19, ficaram gritantes as estreitas relações entre ecossistemas e biodiversidade com a possibilidade da emergência de patógenos de elevado potencial pandêmico. O Sars-Cov-2, coronavírus causador da Covid-19, tem … Continuar lendo ‘Um único planeta, uma só saúde’ e a Declaração de Kunming sobre Biodiversidade

A morte da língua indígena – e dos saberes ancestrais

Da aspirina à morfina, nossa vasta farmacopeia deriva do saber indígena e da biodiversidade. Estima-se que 30% das línguas originárias estão sob o risco de extinção – e junto, curas para uma civilização ameaçada por vírus e ignorância Por Nurit Bensusan, … Continuar lendo A morte da língua indígena – e dos saberes ancestrais

Banto, Tupi, Iorubá: por que esquecemos nossas línguas

Há cinco séculos, a Casa Grande despreza todo conhecimento não-europeu. Academia reproduz o preconceito. Por que redescobrir os idiomas dos povos que formaram o país. Que elementos essenciais eles guardam da cultura brasileira Por Ricardo Salles A expressão casa-grande denomina a … Continuar lendo Banto, Tupi, Iorubá: por que esquecemos nossas línguas

Somos as sementes dos sonhos de nossos avós

Por Renata Tupinambá, na Radio Yande Uma anciã um dia me disse que somos árvores que caminham, carregamos galhos, raízes e todos aqueles que vieram antes de nós são estrelas em nosso céu. Em direção ao sol nossa eterna caminhada … Continuar lendo Somos as sementes dos sonhos de nossos avós