Movimentos defendem criação de tribunal internacional para julgar transnacionais

Equador e África do Sul levaram a proposta de criação de um tratado sobre o tema às Nações Unidas Rafael Tatemoto São Paulo (SP) , 02 de Setembro de 2016 às 13:27 Poluição causada pela exploração petrolífera no Lago Agrio, no Equador. Caso foi levado à corte de arbitragem na Holanda / Julien Gomba   Nos sistemas internacionais de proteção aos direitos humanos é impossível, atualmente, que empresas transnacionais sejam processadas e julgadas. Reivindicação histórica de movimentos populares, a ideia de se criar uma regulação que obrigue corporações a respeitarem direitos humanos foi levada à Organização das Nações Unidas (ONU) … Continuar lendo Movimentos defendem criação de tribunal internacional para julgar transnacionais

A arte de ignorar a natureza

Engevix, Leme e CNEC-WorleyParsons: conheça as três empresas que se revezam na elaboração de estudos de impacto ambiental das maiores usinas hidrelétricas do país. Para acelerar o início das obras, vale tudo por Alice Maciel | 28 de julho de 2015 “A luta nossa, menina, tem sido pesada demais”, descreve o pescador Ademar Leôncio, que em seguida passa a palavra para a lavadeira Jovecília de Jesus continuar a história. Sentados em uma mesa da casa do extrator de pedra e areia Reinaldo Oliveira, o Reinaldão, os três contam como foi a chegada da hidrelétrica de Itapebi, em Salto da Divisa, … Continuar lendo A arte de ignorar a natureza

Procusto e as cegueiras do conhecimento

André Rodrigues, historiador, coordenador do curso de licenciatura em História da UNIBAN/ANHANGUERA e editor do blog História em Perspectiva. Procusto, segundo a mitologia dos gregos antigos, era um malfeitor que morava numa floresta na região de Elêusis (península da Ática, Grécia). Ele tinha mandado fazer uma cama que tinha exatamente as medidas do seu próprio corpo, nem um milímetro a menos. Quando capturava uma pessoa na estrada, Procusto amarrava-a naquela cama. Se a pessoa fosse maior do que a cama, ele simplesmente cortava fora o que sobrava. Se fosse menor, ele a espichava e esticava até caber naquela medida. A … Continuar lendo Procusto e as cegueiras do conhecimento

Terras Indígenas demarcadas ajudam a frear desmatamento

Por ((o))eco 2013 Em todo o Brasil, organizações da sociedade civil, antropólogos e ambientalistas se mobilizaram em atividades da Semana Nacional de Mobilização Indígena, articulação contra propostas que ameaçam direitos dos povos tradicionais do país – como a alteração na titulação de terras indígenas, uma das bandeiras defendidas pela Bancada Ruralista no Congresso Nacional. Mas existe relação entre degradação ambiental e direitos indígenas? Nos mapas da organização Instituto Socioambiental (ISA) é possível entender os motivos da ofensiva em prol de mudanças na demarcação de terras e observar claramente a relação entre as áreas demarcadas e a preservação de florestas. Nas … Continuar lendo Terras Indígenas demarcadas ajudam a frear desmatamento

De Zumbi a João Cândido: uma luta de transformação social e cultural, a favor dos povos oprimidos

Por: Bruna Quadros “O resgate de figuras como Zumbi e João Cândido representa um estímulo à auto-estima dos despossuídos, assim como servem de exemplo para aqueles que ainda não despertaram para a luta de uma nova sociedade.” Esta é a definição do mestre em História Jorge Euzébio Assumpção, docente na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), com relação ao papel dos líderes negros Zumbi dos Palmares e João Cândido para a sociedade brasileira. Ao conversar, por e-mail, com a redação da revista IHU On-Line, ele afirma que, desde a morte de Zumbi dos Palmares, a situação dos negros … Continuar lendo De Zumbi a João Cândido: uma luta de transformação social e cultural, a favor dos povos oprimidos

Redes de saberes, uma proposta libertária

Felizmente, hoje, já podemos contar com ferramentas comunicacionais muito ágeis e leves que podem e devem ser usadas para gerarmos uma mídia livre, colaborativa e independente da mídia privada que não informa, antes desinforma a sociedade. Eduardo Sejanes Cezimbra Quando falo sobre redes sociais, procuro mostrar que elas são algo de que podemos nos valer, tanto para buscar apoio quanto para divulgar nossas propostas.A importância da comunicação nem sempre é valorizada pelas pessoas que atuam na área social. Elas ainda têm uma dificuldade grande, tanto para interpretar o que está sendo colocado pela grande mídia, quando para se contrapor a isto. De certa forma, … Continuar lendo Redes de saberes, uma proposta libertária

Boaventura propõe uma rebeldia compentente

Um otimista trágico, que procura ser um rebelde competente. Editei a primeira resposta de uma longa entrevista com Boaventura de Sousa Santos para a revista “Análise Social” intitulada “O Intelectual de Retaguarda”  com o intuito de apresentar uma ideia provocadora dele: a da rebeldia competente (para quem quiser ler toda entrevista segue o link no final desta postagem). Eduardo Sejanes Cezimbra Boaventura de Sousa Santos : “(…) Entre a razão e a vontade há mais pontes do que as que podemos imaginar. A minha identidade como cientista social, como sociólogo, assenta em dois pilares. Por um lado, a consciência informada … Continuar lendo Boaventura propõe uma rebeldia compentente

Boaventura prega valorização dos saberes populares

Para o sociólogo Boaventura de Sousa Santos, “as universidades só ensinam o conhecimento dos vencedores, e não dos vencidos” Lucinthya Gomes lucinthya@opovo.com.b Ao tentar definir Ecologia de Saberes, o sociólogo português Boaventura de Sousa Santos, um dos mais prestigiados do mundo, afirmou ser um apelo por mais justiça aos conhecimentos. Ele referia-se ao conhecimento que vem das populações rurais, urbanas, ribeirinhas. Ao conhecimento nascido da luta, dos oprimidos, dos discriminados. “As universidades só ensinam o conhecimento dos vencedores, e não dos vencidos. (…) O conhecimento universitário, científico, é importante, mas não basta”, afirmou. Na noite de ontem, Boaventura ministrou palestra … Continuar lendo Boaventura prega valorização dos saberes populares