Eduardo Galeano de Veias Abertas

Eduardo Sejanes Cezimbra

O premiado escritor uruguaio, Eduardo Galeano, autor de livros traduzidos em diversos países, morreu em um hospital de Montevidéu, lutando contra um câncer. Eduardo Hughes Galeano nasceu em Montevidéu, em 3 de setembro de 1940, onde exerceu várias atividades como narrador, ilustrador e jornalista em jornais de esquerda como ‘El Sol’ e ‘Marcha’, também foi diretor de ‘Época’. Em 1973, exilou-se na Argentina, onde fundou e dirigiu a revista ‘Crisis’. Também viveu na Espanha, ate retornar ao Uruguai em 1985, residindo desde então em Montevideu.

Dono de um estilo jornalístico, dotado de uma escrita objetiva e ao mesmo tempo lírica, sempre voltado a questões sociais e da história de injustiças que marcaram os povos do continente americano, escreveu “As Veias Abertas da América Latina”, livro que se tornou uma referência sociológica e política para muitos estudiosos da realidade latino-americana.

Reeditado e traduzido em 20 idiomas, foi um livro cercado de muita polêmica, ataques e defesas apaixonadas pelo seu conteúdo de denúncia contra o colonialismo hispânico e o imperialismo norte-americano.

Escreveu um pequeno romance – ‘Los dias seguientes’ – e contos – ‘Los fantasmas del dia de león’ – em que já primava pelos voos da imaginação e pelo simbolismo. Escritor muito devotado às questões políticas, tem obras retratando a China de 1964, a Bolívia e a Guatemala. Demonstra toda sua perícia de escritor no uso de lendas, fatos e anedotas, extraídos da cultura popular, resgatando histórias de lutas, opressões e costumes dos povos latino-americanos e ibéricos.

No Brasil, tem uma longa lista de livros editados: ‘De pernas pro ar’, ‘Dias e noites de amor e de guerra’, ‘Futebol ao sol e à sombra’, ‘O livro dos abraços’, ‘Trilogia Memória do Fogo: Os nascimentos’ (vol.1), ‘As caras e as máscaras’ (vol.2) e ‘O século do vento’ (vol.3), ‘Mulheres’, ‘As palavras andantes’, ‘O teatro do bem e do mal’ e ‘Vagamundo’.

Em marco, de 2015, já combalido pela doença, recebeu em sua casa a visita do presidente da Bolívia, Evo Morales. A noticia de sua morte, rapidamente tomou as manchetes dos principais jornais do mundo, comprovando o quanto era lido e reconhecido.

Foto: EFE

Anúncios

Um comentário sobre “Eduardo Galeano de Veias Abertas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s