Sobre a “onda conservadora”, ou: o que as feministas estão dizendo faz tempo, mas alguns preferem ignorar

Marcha Mundial das Mulheres

15844331_463627277094488_6822304181121238316_oPor Maria Júlia Montero*

Já tem um tempo que nós, feministas, estamos falando sobre a tal “onda conservadora”, e como ela vem regada também com uma boa dose de misoginia (coloquei alguns links ao final). Temos falado sobre como, principalmente em tempos de crise econômica (e política, e de valores…), alguns valores sobre as mulheres são reforçados no sentido de fortalecer um papel para nós: o papel da dona de casa, da trabalhadora precarizada (na fábrica e em casa), a mãe, a resignada… o papel da “bela, recatada e do lar”. Tudo isso vem junto com um maior controle dos nossos corpos através da crescente criminalização do aborto (controle da nossa capacidade reprodutiva), pela violência ou através da prostituição. Falamos, também, sobre como isso vem junto com as políticas de austeridade, como corte nos investimentos em saúde, educação, a reforma da previdência etc. Enquanto formulávamos sobre como o sistema é…

Ver o post original 1.026 mais palavras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s