UnB cria o primeiro instituto de línguas indígenas do Brasil

20130306215656391932a

Foto: Correio Braziliense

Com base no Correio Braziliense

O local foi batizado em homenagem a Aryon Dall’Igna Rodrigues, pesquisador paranaense que reuniu acervo de 20 mil peças ao longo de seis décadas

Num contexto em que a identidade indígena no país é subjugada pelos avanços dos novos tempos, Brasília inova e cria o primeiro instituto de línguas indígenas do Brasil, uma marco na história nacional. A instituição foi inaugurada dia 7/03/2013 e leva o nome do linguista brasileiro Aryon Dall’Igna Rodrigues, professor da Universidade de Brasília (UnB).

A iniciativa de professores da Universidade de Brasília pretende preservar e divulgar línguas ameaçadas de desaparecer e que representam a afirmação de identidade para vários povos.

Em 2013, segundo a reportagem do Correio Braziliense, o Instituto Socioambiental (ISA), apontava a existência no Brasil de 225 etnias indígenas, que falavam 180 línguas. (Em março de 2016, esse blog recebeu contribuição da professora Dra. Rosângela Corrêa, da Faculdade de Educação da UnB – vide na seção dos comentários abaixo – alertando que, segundo o censo do IBGE realizado em 2010,: a população brasileira soma 190.755.799 milhões de pessoas, sendo que 817.963 mil são indígenas, representando 305 diferentes etnias e foram registradas no país 274 línguas indígenas.)

Para conhecer a sonoridade de línguas indigenas, veja aqui o Hino Nacional cantado no idioma do povo Tikuna do Amazonas, na voz da cantora Djuena Tikuna .

O número de línguas indígenas ainda faladas é um pouco menor do que o de etnias, porque mais de vinte desses povos agora falam só o português, alguns passaram a falar a língua de um povo indígena vizinho e dois, no Amapá, falam o crioulo francês da Guiana. A distribuição é desigual, algumas dessas línguas são faladas por cerca de 20 mil pessoas e outras o são por menos de 20.

 

Assim como as demais línguas do mundo, por apresentarem semelhanças nas suas origens tornam-se parte de grupos linguísticos que são as famílias língüísticas, e estas por sua vez fazem parte de grupos ainda maiores, classificadas como troncos lingüísticos. Os troncos com maior número de línguas são o macro-tupi e o macro-jê.

Veja aqui a reportagem da TV Brasil sobre o tema

Anúncios

5 comentários sobre “UnB cria o primeiro instituto de línguas indígenas do Brasil

    1. Que coisa mais bela! Parabéns… Quem sabe agora possa se criar a Universidade Indígena com professores e mestres indígena pra nos ensinar a viver de maneira sustentável e inclusiva, ensinando e compartilhando seus saberes como sua arte, cultura, língua, música enfim pra conhecermos sobre nossas raízes por eles, para que possamos nos harmonizar mais como brasileiros.

      Curtir

  1. Parabéns por essa inciativa de conhecer, cuidar e preservar a cultura indígena . Minha cidade Barra do Garças, em Mato Grosso temos muitos indígenas. Gostaria de conhecer e aprender sobre a língua Xavante, sou professora e me sinto em dívida com meus alunos. Se tiverem algum curso, entre em contato. Obrigada!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s