Carijo Guarani

Jopói (do Guarani: a gente se ajuda)

20151207_180436

Eduardo Sejanes Cezimbra

Escrevo este artigo mateando com cuia uruguaia e erva-mate orgânica Jopói (do Guarani: a gente se ajuda) produzida no sistema de agrofloresta pela Cooperativa Ecovale de Santa Cruz do Sul com assessoria do Centro de Apoio ao Pequeno Agricultor – CAPA.

Busco inspiração para escrever sobre o modo de vida dos Guarani saboreando um mate feito com erva-mate embalada na região de colonização alemã do RS…

Pois a erva-mate, nativa do sul do continente, é tradição Guarani apropriada pelos primeiros imigrantes europeus que aportaram em Abya Yala, rebatizado de América pelos conquistadores.

Abaixo o link de vídeo do Comunicação Kueri sobre o carijo Guarani: a maneira de preparo tradicional da erva-mate contada pelos próprios Guarani da aldeia Tenondé, de Camaquã, RS.

Quem nos fala é o Cacique Guarani André Souza Fernandez: “primeiro o mate para me acordar. Geralmente o Guarani toma mate  e um pergunta para o outro se sonhou ou não, teve sonho ou não…Isso é o modo Guarani”.

Lembra o modo como seus ancestrais preparavam a erva e diz com sinceridade que não viu este modo, que foi contado por um parente: “dentro de casa tinha uma madeira, uma vara, aí pendurava a folha da erva e embaixo tinha fogo. Dessa forma que eles secavam…como era um volume pequeno, só para ele, não precisava fazer tanto…”

O cacique conta que é a primeira vez que monta o carijo, uma estrutura elevada com estacas de madeira e forrada com taquara onde se faz fogo embaixo dela para sapecar a erva-mate. “Se você preparou você sabe que produto tá tomando. Eu vejo que para mim é importante Tanto é assim que vou querer a muda da erva, plantar na minha área e ter ali. Isso depois a gente passa para as crianças manter essa cultura. Por isso é importante voltar a produzir. A gente sente aqui que é mais puro”, conclui provando o primeiro mate feito em sua aldeia!

E é verdade, quem já tomou um chimarrão com a erva-mate nativa feita no tradicional carijo Guarani sabe apreciar a diferença sobre a erva-mate industrializada. Além do sabor inigualável propiciado pelo “sapeco” chama atenção o quanto o mate permanece espumante e saboroso durante muito tempo (“sem lavar a erva”, diz-se aqui).

Assista o vídeo Carijo Guarani clicando aqui

 

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s